quinta-feira, 8 de maio de 2014

Primeiras na Europa



"Costa torna-se a primeira treinadora de um clube de futebol profissional na Europa."

Confesso que nunca tinha pensado neste glass-ceiling em particular. E é incrível como em 2014, em plena Europa, ainda há notícias com as palavras "a primeira mulher a ...". Não devia já estar tudo conquistado? 

Na notícia são mencionados alguns comentários a esta contratação deixados por fãs na página do clube. Fala-se do pouco respeito que ela conseguirá impor aos jogadores por ter apenas 36 anos. O Mourinho ganhou a Taça UEFA com o Porto aos 41, pelos vistos o critério idade pode ser irrelevante para o respeito. Resta saber se o sexo será.

Fala-se também de que tudo isto não passou de uma manobra de publicidade de um clube mediano tentar ganhar visibilidade. Claro. Porque toda a gente sabe que mulheres em lugares profissionais proeminentes fizeram qualquer marosca para lá chegar. Mérito é sempre a última coisa a ser-lhes atribuída.

Como todas as "primeira mulher a...", a Helena servirá de modelo para outras raparigas a ingressar numa carreira no mundo do futebol. Parece um cliché idealista mas a igualdade de oportunidades não se faz só com a ausência de uma lei que determina que só homens podem fazer determinada coisa. Se não houver nenhuma mulher a treinar um clube nenhuma rapariga chegará a considerar essa via como potencial carreira. É um ciclo vicioso. Duplos parabéns para as primeiras capazes de o quebrarem.




S.

2 comentários:

  1. É verdade: seja golpe publicitário, ou não, é um passo importante. Grande Helena Costa!

    ResponderEliminar